Notícia

Imóvel de até R$ 1,5 milhão será financiado pelo FGTS

Fundo poderá ser usado para comprar unidade entre os dias 20 deste mês e 31 de dezembro

Empreendimento em obras: ideia é aquecer setor
Empreendimento em obras: ideia é aquecer setor
Foto: Nara Paraná/Arquivo

O Ministério do Planejamento informou ontem que o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu elevar o valor do imóvel que pode ser comprado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), assim como o valor da casa própria que poderá ser financiada dentro das regras do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) – modalidade de crédito que conta com juros mais baixos.

O valor máximo do imóvel subirá de R$ 950 mil em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal e de R$ 800 mil nas demais regiões do país, incluindo o Espírito Santo, para até R$ 1,5 milhão.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a classe média será “beneficiada” com a decisão do CMN. Segundo o governo, a nova regra vale para imóveis contratados a partir da próxima segunda-feira (20) até 31 de dezembro deste ano. “O novo valor tem vigência temporária, é aplicável apenas para a aquisição de imóveis residenciais novos, valendo de forma uniforme para todas as regiões do país.”

O governo observou que, com a mudança, os clientes bancários terão acesso não só às taxas de juros aplicáveis ao SFH, mas também à possibilidade de movimentar os recursos de suas contas vinculadas do FGTS para o pagamento de parte das prestações ou para a amortização dos financiamentos.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Espírito Santo (Sinduscon-ES), Paulo Baraona, a iniciativa abre oportunidades para um segmento da sociedade que até então não encontrava facilidades na compra do imóvel. “Isso ajudará a liquidar estoques e estimular que alguns lançamentos saiam do papel, o que consequentemente contribuirá na geração de empregos.”

Sandro Carlesso, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES), também comemorou o anúncio e reforçou o potencial que a medida tem para a retomada do segmento. “Além disso, vai contribui para reduzir a chance de haver distratos por falta de renda para financiar.”

(Com informações de Beatriz Seixas e agências)