Notícia

Estação de esgoto de Jardim Camburi será substituída

Objetivo de proposta da Cesan é gerar água de reúso para as indústrias que operam no Complexo de Tubarão, em Vitória. Novo sistema vai reduzir o consumo do Rio Santa Maria da Vitória, que também abastece as indústrias na região

Complexo de Tubarão
Complexo de Tubarão
Foto: Vitor Jubini A Gazeta

Com o objetivo de gerar água de reúso para as indústrias que operam no Complexo de Tubarão, a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) vai começar os estudos para a substituição da atual Estação de Tratamento de Esgoto de Jardim Camburi, em Vitória.

Na tarde desta segunda-feira (20), foi lançado, no Palácio Anchieta, o edital de Chamamento Público de Procedimento de Manifestação de Interesse. O objetivo é realizar estudos de viabilidade técnica, econômico-financeira e arranjo institucional para um novo sistema de tratamento de esgoto.

De acordo com o presidente da Cesan Pablo Andreão, depois de manifestarem interesse no edital, as empresas terão até 120 dias para apresentar os estudos. Após a conclusão dos estudos, o Estado começa a fase de licitação da concessão da Estação. A previsão é que a obra fique pronta em até dois anos após ser licitada, segundo o presidente da Cesan.

Redução de consumo

Pablo Andreão também informou que o novo sistema vai reduzir o consumo do Rio Santa Maria da Vitória, que também abastece as indústrias de Tubarão. Além disso, a Estação de Tratamento de Esgoto vai dobrar sua capacidade. “Ela é de aproximadamente 200 litros por segundo. Nós esperamos, pelo menos, dobrar para poder trazer efluentes tratados de outras estações”, disse.

A expectativa é que o novo sistema tenha capacidade para disponibilizar até 500 litros por segundo de água de reúso para as indústrias. Segundo o presidente da Cesan, haverá uma adutora exclusiva que levará a água até o Complexo de Tubarão.

Água de reúso em várias atividades

Segundo o gerente de Meio Ambiente da Vale, Romildo Fracalossi, essa água poderá ser usada em diversas atividades da empresa, como no processo de produção de pelotas, na limpeza de vias e no controle ambiental.

Romildo Fracalossi ressaltou, no entanto, que os estudos precisam mostrar a viabilidade econômica do projeto para que a utilização da água de reúso seja vantajosa para a empresa. “É claro que todos os estudos necessários precisam ser feitos para poder verificar se essa água vai ter características de qualidade adequadas e, também, preço melhor. Se isso for viável, pode tornar o processo industrial mais competitivo”, comentou.

O Chamamento Público de Procedimento de Manifestação de Interesse foi anunciado na tarde desta segunda-feira, no gabinete do governador Paulo Hartung, no Palácio Anchieta.